Notícias

Hackathons testam materiais acessíveis que serão lançados no DIVERSA

Compartilhe nas redes sociais:
Maquete que representa parte do sistema solar é um dos materiais pedagógicos acessíveis que estará na nova seção do portal

Já imaginou como seria explicar para um jovem cego os movimentos dos planetas e dos satélites no espaço? Uma das opções é usar materiais táteis que, inclusive, podem ser construídos por educadores com o apoio de tecnologias. Pensando em possibilitar a instrumentalização e oferecimento de recursos diferentes para tornar a educação acessível a todas as pessoas, o projeto DIVERSA está participando de hackathons, que são maratonas de programação, em diferentes cidades, como Manaus (AM), Curitiba (PR) e Rio de janeiro (RJ).

Nos encontros, especialistas em tecnologia serão desafiados a testar e dar uso a materiais pedagógicos acessíveis, ou mesmo criar novos. As ideias serão debatidas e posteriormente disponibilizadas em uma nova seção do portal DIVERSA específica sobre os recursos.

Materiais que transformam a prática

Esse espaço funcionará como um acervo virtual que vai oferecer, ao usuário do DIVERSA, vídeos tutoriais e textos explicativos que permitem entender o que é e como construir materiais pedagógicos acessíveis. São conteúdos criados com base no conceito de desenho universal para aprendizagem, ou seja, que podem ser usados por todo e qualquer estudante, independentemente de suas especificidades.

O objetivo é que, por meio da seção, educadores do Brasil desenvolvam e repliquem os materiais acessíveis para ensinar alunos com e sem deficiência nas salas de aula comuns. O lançamento oficial será feito em 25 de novembro, durante o seminário Amplifica Rio 2017.

Antes disso, a primeira cidade a receber os hackathons será Manaus. Lá, a maratona ocorre no próximo dia 26 de outubro na Universidade Federal do Amazonas (UFAM), durante a 1ª Semana de Arte Ciência e Tecnologia (Senacite 2017) da instituição e o 1 º Festival de Invenção e Criatividade (FIC 2017) do Amazonas.

A iniciativa dos materiais pedagógicos acessíveis é realizada pelo Instituto Rodrigo Mendes (IRM) em parceria com o eLABorando, laboratório de estudo, pesquisa e produção na área de educação e cultura inclusiva.

Segundo Maria Antônia Goulart, integrante da equipe consultora do projeto, a parceria com o IRM surgiu no começo deste ano, quando Rodrigo Hübner Mendes consultou o laboratório para fazer a cogestão do projeto DIVERSA. “Na época, falamos da ação que o eLAborando tinha realizado no município de Itatinga, em Minas Gerais, sobre materiais pedagógicos acessíveis, junto com a ONG Aprendiz. Foi a partir daí que começamos a desenhar o conteúdo a ser disponibilizado na nova seção”, diz.

Acompanhe os hackathons!